22.2.10

escritos antigos

queria andar um tanto despreocupada com o jeito das roupas das nuvens dos sonhos que pousam sobre meus ombros. pousar no entanto nesse caso não é verbo que se use. ando com um peso que pesa, não pousa. com um jeito que preocupa. com uma preocupação de jeito. um tanto ocupada nos ombros.

12.2.10

escritos antigos antigos

ela tocava o siriri pra foto da outra. só gozava quando se imaginava com um pinto do tamanho do mundo, jorrando porra no sorriso, nos olhos claros, no cabelo brilhante e sedoso de propaganda. quando a via assim, toda lambuzada, gozava forte. depois, pensava em se matar.

só tesão e um pouco de raiva. não estou para profundidades.

8.2.10

poema sozinho

'nenhum desejo neste domingo'


nenhuma alegria nesta vida.
ps: me vi perguntando a mim um tanto absurdada 'ele teve mesmo coragem de escrever aquele segundo verso?'

meu poema seria assim:

nenhum desejo neste domingo
nenhuma alegria nesta vida
as vozes não silenciam na casa
embora o mundo esteja mudo
os dedos que dedilham essas notas
fingem bem o que não sabem
se soubessem o fingiriam
ainda melhor
'nenhum desejo neste domingo'

a não ser o desejo o de sempre:
não estar aqui.

desejo o mesmo o de sempre:
estar aqui para não desejar aqui.

desejo o mesmo o domingo de lá -
liberdade é palavra de um outro lugar.

5.2.10

gastou um tempo do caralho mordiscando-me
e lambendo-me
o lóbulo da orelha

fosse bom não seria lóbulo
nem orelha

2.2.10

Citação imprecisa:

"tenho nome entre os que tardam, e esse nome é sombra como tudo".