22.2.10

escritos antigos

queria andar um tanto despreocupada com o jeito das roupas das nuvens dos sonhos que pousam sobre meus ombros. pousar no entanto nesse caso não é verbo que se use. ando com um peso que pesa, não pousa. com um jeito que preocupa. com uma preocupação de jeito. um tanto ocupada nos ombros.

3 Comentários:

Blogger Guto Leite disse...

Pra além do que doi, é muito bonito este texto, Tá. Prazer de leitura!
p.s.: temos que conversar mesmo, logo. =) O silêncio às vezes é mais áspero que a palavra, nos falemos logo!

22/2/10 22:15  
Blogger Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Sempre é bom visitar pessoas que há tempos não vemos. Quanto mais quando apenas vimos essas pessoas por meio das palavras que dessas pessoas saíram. Como é o seu caso. E quando nessa visita você encontra uma espécie de essência que não se transfigurou com o correr das valas dos dias, é sinal de que valeu a pena. Mas mesmo que essa essência houvesse se transfigurado, valeria a pena. Afinal, existe vida aí. Vida demais, para ser franco - jamais sincero, sob pena de recair em uma má-fé sartreana.

14/3/10 02:28  
Blogger Wilson C. Pires disse...

"" Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas! ""

Mário Quintana

1/6/10 09:35  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial