24.2.09

que porra.
eu podia tá roubando, matando, me prostituindo...
mas tou aqui, escrevendo.

dá um dinheiro, tio?

2 Comentários:

Blogger Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Realmente, dona moça, já pensei em vender meu corpicho. Mas nunca para velhas pelancudas ou senhores pederastas. Eu queria essas menininhas gostosinhas e tal. Mas como tal coisa é impossível, prossigo com os dons que tenho, sendo que todos os que conheço, até onde vivi, do alto dos meus quase vinte e cinco anos, são relacionados à palavra. Sim: faço sexo oral com as palavras. É isso.

24/2/09 15:38  
Blogger Tagg disse...

Eu amo a palavra e quase sempre pela palavra. Não tenho dons, durante muito tempo disse 'sou uma mulher sem talentos' e acredito que ainda valha a frase. Mas o que quero é palavra - às quais se venham juntar, de preferência, a felicidade de ritmo e melodia que me acariciem o ouvido.
p.s.: apesar do que afirmei acima, não sou nenhum pseudointelectual (com ou sem hífen :) na bolha, que fique bem claro! :)

27/2/09 03:00  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial