20.1.09

a esteticista lhe recomendou depilar os pelinhos da portinhola do nariz, pois que eram visíveis quando de perfil. ela concordou, mas pensando: 'gente, só uma bicha era capaz de prestar atenção numa coisa dessas!'. e passou o tempo todo da depilação encarando a depiladora, divisando uma mão bem grande aqui, um resto de gogó acolá... saiu convencida de que a outra era um traveco. claro! tinha que ser alguém mais mulher que ela pra prestar atenção num trocinho daqueles!

2 Comentários:

Blogger Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Se o travesti é mais mulher que as mulheres, não sei. Até poderia explicar isso do ponto de vista psicanalítico, referindo que os travestir vestem o esteriótipo feminino de tal modo que, para surtirem uma impressão fêmea, são obrigados a absorver tudo quanto feminino for. Porém não foi nada disso que senti ao ler seu texto. Isso que acabo de falar é pura superfície. Na verdade fiquei tentando imaginar qual era a cor da cadeira na qual você sentou. Se foi uma cadeira branca, minha imaginação é intuitiva e praticamente viaja no tempo. E pra terminar: quem disse que o tempo passa?

20/1/09 23:30  
Blogger Simone Iwasso disse...

oi, mulher, tudo bem? como foi de viagem? sobreviveu às tantas horas no busão? voltarei aqui sim, pode deixar, vou te ler....quanto aquele telefone, eu tenho ele sim, em algum lugar. vou procurar e te passo. beijo!

21/1/09 13:48  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial