18.11.10

como com os olhos tuas palavras
de ti é o que ainda tenho
bem que não seja meu

o gosto das tuas palavras
na minha língua traz
o gosto da tua língua
ai que saudade

sobe à cabeça tão fina cocaína
eu fecho os olhos as tuas palavras
os teus olhos tristes

fecho os olhos os teus olhos tristes
como eu os amo
vou gozar agora

tua barba me roça o pescoço
tuas mãos
me apertando as nádegas
as tuas palavras jorram

acaricio as tuas palavras
gozo e choro em duas leituras
nunca contentamento

3 Comentários:

Blogger Carolzinha disse...

Lindo, me fez lembrar música do Chico. Bj.

18/11/10 23:53  
Blogger Rodrigo Lopes disse...

duas línguas, quando se juntam,
fecham os olhos.

as palavrasseembaralhamenãoseouvemaisnada

nem precisa.

19/11/10 17:04  
Anonymous Ju disse...

Nunca contentamento, sempre constrangimento.

30/12/10 12:06  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial