9.1.08

Da tradução despretensiosa de um amigo para o riso que trago às vezes imprudente.

"E, quando respiramos, a Morte em nossos pulmões
Desce, rio invisível, com lamentos surdos."
(Baudelaire by Guto Leite)

Eu fumante.

2 Comentários:

Blogger Guto Leite disse...

Caríssima, pensei o mesmo quando li os versos! É incrível como Baudelaire abraça os desvairados... Grande beijo.

10/1/08 22:10  
Blogger Alterego disse...

Tággidi,
Há dias ensaiava uma visita e, hoje, resolvi abrir a porta sem bater. Em epítome: gosto muito das tuas coisas! "... riso que trago às vezes imprudente" soa poético e intenso! Faço votos de que "a verve da poeta" não tarde em nos agraciar com mais palavras.
Carinho inteiro!
Rogério Sena

1/2/08 13:43  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial