8.3.07

Sobre Lúcia e o Sexo (Lucía e el Sexo, 2001) , de Julio Medem: palavra que se transforma em imagem. Ato que se transforma em palavra. Palavra que vira ato. Imagem que vira palavra.
Sobre Nove Canções (Nine Songs, 2005), de Michael Winterbottom: intimidade (toda cotidianidade da). Todo mundo se assustou tanto com isso... Como se não pudesse haver intimidade sem palavra, só em vivência, só em convivência. Era bom lembrar que comunicação verbal não garante comunicação. E comunicação de corpos/sentidos é tão bom!
Sobre Eternos Heróis (Mickybo and Me, 2004) de Terry Loane: lembrar de Belmiro para não errar. Lembrar de não deixar de amar ou amar por causa de partido. Idéia romântica a minha? Sim. Raízes lá em Romeu e Julieta. Antes até. Raízes no desde sempre. Enfim. Amor sem bandeira.

Marcadores:

1 Comentários:

Blogger Guto Leite disse...

Guto correndo à videoteca para alugar os outros (menos Lúcia e o Sexo). Se eu perguntar a alguém onde fica uma videoteca, me mandarão virar à direta na 80's. Blog lindo, Ta! Quase juz à autora.

13/3/07 20:13  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial